Os tempos verbais em uma entrevista de emprego em inglês

Entrevista de emprego em inglês – Job interview in English

É importante ter consciência dos tempos verbais na língua inglesa durante uma entrevista.

Se o entrevistador perguntar sobre seus planos dentro da empresa que você pretende trabalhar, você deverá utilizar as expressões no futuro.

Ao mencionar suas experiências em outros empregos (que você já saiu!), você deverá utilizar os verbos no tempo passado.

Caso você seja questionado sobre suas experiências no atual emprego (levando em conta que esteja empregado na busca de outra posição), a opção pelo Present Perfect parece a melhor opção dependendo do contexto.

A mistura dos tempos verbais muitas vezes deixa o entrevistador confuso. Ter consciência do seu currículo e saber o momento correto do uso de cada tempo verbal torna a conversa clara e direta.

Perguntas comuns em entrevistas de emprego em inglês

  • Why are you interested in this job? 
  • What do you know about our company? 
  • Why should we hire you? 
  • What are your main strengths? 
  • What are your weaknesses?
  • Do you have any questions about the job or about our company? 

                                                    Fonte:RobertHalf

7 habilidades importantes para o mercado de trabalho em 2020

  1. Leitura de dados. Saber interpretar a enorme quantidade de dados que as empresas coletam. Transformar dados em valor para o negócio;
  2. Pensamento crítico. Diante de tanta informação, saber o que é confiável ou não, pessoas com habilidade de discernir o que é relevante ou não;
  3. Criatividade, a máquina não nos supera neste quesito;
  4. Inteligência emocional. Respeitar diferenças, expressar e controlar emoções diante de situações importantes na rotina diária;
  5. Colaboração. Qualquer líder busca pessoas que possam interagir e ajudar seu grupo;
  6. Resolução de problemas;
  7. Liderança, não somente para os que estão no topo. Inspirar os que estão próximos e tirar o melhor de cada um.

Lista baseada nas habilidades destacadas pela FORBES

7 dicas para apresentações em inglês

1- Domine o vocabulário de sua área de atuação. São palavras de uso frequente;

2- Simples e direto, use o vocabulário que você se sinta confortável. Você não aprenderá novas estruturas ou novas expressões somente para uma ocasião;

3- Preparação faz a diferença!

4- Escreva um roteiro, não leia slides (não somente nas apresentações em inglês!). Você precisa de um roteiro como guia que te dará segurança para não esquecer os pontos importantes;

5- Você deve ter atenção aos vícios de linguagens . São “muletas” ou apoios utilizados para ganhar tempo para pensar em uma próxima estrutura. A repetição de OK, YOU KNOW…pode tornar a fala arrastada e pouco interessante, sem fluidez;

6- Não fale rápido demais. Respire e encontre seu ritmo. Falar rápido não é sinal de fluência em língua alguma;

7- Faça uma lista de possíveis perguntas e pratique as respostas. Tentar antecipar algumas questões pode ajudar muito.

Escolhas educacionais, distinção social e inserção profissional: percepção de pais de crianças de escolas e projetos bilíngues do Rio de Janeiro

No contexto das transformações no mercado de educação básica no Brasil, o objetivo desta pesquisa foi compreender as expectativas familiares em relação à escolarização bilíngue. Mais especificamente, buscou-se analisar as razões e motivações que tem levado pais e mães a matricularem seus filhos em escolas que oferecem educação bilíngue, incluindo o entendimento da relação entre essa escolha e as expectativas em relação às suas carreiras.

Metodologia – Para o alcance dos objetivos propostos, optou-se pela condução de uma pesquisa qualitativa e exploratória, com a participação de 15 pais e mães de alunos e alunas do ensino fundamental, matriculadas em escolas que oferecem educação bilíngue no Rio de Janeiro. A seleção dos sujeitos foi feita de forma intencional, a partir da rede de relacionamento do autor.

Resultados – Os resultados apontaram quatro principais motivações para a opção pela educação bilíngue: aquisição do domínio nativo da língua inglesa, percebido como necessário para a vida e a carreira; aquisição de conhecimentos e habilidades que facilitem a transição para o ensino superior e a inserção profissional; aquisição de capital social e simbólico. Para alguns participantes, a educação bilíngue também foi percebida como um caminho que viabiliza a transição para o ensino superior e/ou para uma carreira no exterior. Neste caso, a motivação parece ser decorrente do cenário de violência no Rio de Janeiro, da crise econômica nacional, e como estratégia de distinção social associada à democratização do acesso ao ensino superior no Brasil.

Limitações – O estudo contou com um número relativamente pequeno de participantes, o que pode ter levado a uma perspectiva incompleta do fenômeno sob estudo.

Contribuições práticas – Os resultados do estudo apontaram diferentes aspectos valorizados pelos pais na opção pela educação bilíngue, contribuindo para um melhor entendimento da dinâmica deste novo segmento do mercado educacional, que vem crescendo e atraindo novos investimentos. Esse conhecimento pode ser útil tanto para essas escolas quanto para cursos de inglês e escolas não-bilíngues que se veem diante de escolas dispostas a entregar uma formação mais completa e internacional, não somente com o ensino do inglês, mas também com o ensino em inglês.

Contribuições para a sociedade – Ao lançar luz sobre as perspectivas dos pais/mães, esperas e contribuir para que as escolas possam oferecer uma educação mais alinhada a essas expectativas e às necessidades educacionais das crianças e jovens.

Link para dissertação de mestrado:

Alexander Vieira – Mestrado Gestão Empresarial, FGV-RJ.

http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/28587

Vocabulário para entrevista de emprego em inglês: APPLY FOR, APPLICANT, APPLICATION.

APPLY FOR A JOB – CANDIDATAR-SE A UMA VAGA DE EMPREGO.

She´s applied for a new job.

APPLICANT – CANDIDATO

An applicant is someone who signs up or applies for something. A job applicant for example.

How many applicants did you have for the job?

APPLICATION – substantivo, um pedido formal, candidatando-se a uma vaga por escrito (preenchimento de um formulário, por exemplo).

an official request for something, usually in writing:

Have you completed your application form?

A Construção do Mercado de Escolas Bilíngues no Brasil: “O Contexto do Contexto” por Alexander Rebelo Vieira

Anais do III Encontro Cultura e Consumo Brasil

Auditório Prof. Almir Valladares Fraga

COPPEAD UFRJ

Publicado em 13/02/2020 – ISBN: 978-85-5722-419-3 – DOI: 10.29327/iececb2020

Educação Bilíngue

Neste artigo, recorremos à literatura especializada para construir o “contexto do contexto” (ASKEGAARD; LINNET, 2011) do crescimento da oferta de ensino bilíngue no mercado de escolas particulares. Buscou-se uma base teórica capaz de fornecer um terreno sólido para uma posterior investigação empírica a respeito da motivação de pais e famílias em matricularem seus filhos em escolas desse perfil.

Destacam-se os principais pontos discutidos.
Indicou-se que, com base na Sociologia da Educação, a variável de classe social é fundamental para entender a escolha de escola e que o capital social de que dispõem as famílias deve ser considerado como como um importante regulador da informação disponível sobre essas instituições, sendo, portanto, determinante para o comportamento de escolha. Interpretou-se que as classes médias percebem a escola como um veículo de separação dos setores populares e uma estratégia de aumentar as vantagens e oportunidades de seus filhos através da educação, assegurando futuras posições de prestígio na estrutura social.

Mostrou-se que a educação básica foi, tradicionalmente, entendida e avaliada pelas classes médias e altas brasileiras como um veículo para o ensino superior e que o mercado competitivo de escolas privadas se diferenciou pela capacidade de preparar um grupo seleto de estudantes para as universidades de maior prestígio no país. Essas instituições eram, tradicionalmente, as públicas (federais ou estaduais), as católicas e as escolas profissionais mantidas por fundações sem fins lucrativos.

Contudo, as políticas de democratização do acesso ao ensino superior público estariam contribuindo para a sua desvalorização por parte dessas classes. A mudança no significado do ensino superior brasileiro estaria ocasionando, portanto, uma mudança nas expectativas com relação à missão do ensino básico e é possível que os pais das classes médias e altas almejem, em maior escala, que seus filhos cursem o ensino superior fora do Brasil. Esta mudança parece estar conduzindo as escolas a reformularem as suas ofertas.

Por fim, à luz de uma perspectiva “global x local” indicaram-se dois processos de ordem global que provavelmente estão trazendo impactos para a configuração local dos mercados de escola no Brasil: a internacionalização (e englishization) do ensino superior e a internacionalização (e englishization) do mundo do trabalho. Nesse cenário, entendeu-se que as famílias desempenham um papel simultâneo de consumidores e demandantes de novos valores para a educação e que, portanto, devem ser consideradas como importantes agentes dinamizadores do mercado de educação.

Como citar:

VIEIRA, Alexander Rebelo. A CONSTRUÇÃO DO MERCADO DE ESCOLAS BILÍNGUES NO BRASIL: “O CONTEXTO DO CONTEXTO” .. In: Anais do III Encontro Cultura e Consumo Brasil. Anais…Rio de Janeiro(RJ) Auditório Prof. Almir Valladares Fraga, 2019. Disponível em: <https//www.even3.com.br/anais/iececb2020/238815-A-CONSTRUCAO-DO-MERCADO-DE-ESCOLAS-BILINGUES-NO-BRASIL–O-CONTEXTO-DO-CONTEXTO->. Acesso em: 14/02/2020 20:05

Link para dissertação de mestrado:

http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/28587

BIBLIOGRAFIA:
ALMEIDA, A. M. F. The changing strategies of social closure in elite education in Brazil. In: VAN ZANTEN, A.; BALL, S.; DARCHY-KOECHLIN, B. (Orgs.). Elites, privilege and excellence: the national and global redefinition of educational advantage. Abingdon, OX, UK: Routledge, 2015

ASKEGAARD, S.; LINNET, J. T. Towards an epistemology of consumer culture theory: Phenomenology and the context of context. Marketing Theory, v. 11, n. 4, p. 381–404, 2011.
BOURDIEU, P. La distinction: critique sociale du jugement. Paris: Les éditions de Minuit, 1979. BOURDIEU, P. (1998). Escritos de educação. Petrópolis: Vozes.
NOGUEIRA, M. A.; AGUIAR, A. M. S.; RAMOS, V. C. C. (2008). Fronteiras desafiadas: a internacionalização das experiências escolares. Educação & Sociedade, v. 29, n. 103, p. 355376, 2008.
ORELLANA, V.; CAVIEDES, S.; BELLEI, C.; CONTRERAS, M. La elección de escuela como fenómeno sociológico: Una revisión de literatura. Revista Brasileira de Educação, v. 23, n. e230007, p. 1–19, 2018.
ROLAND, N. Choisir une école dans les milieu populaires. Education et Formation, v. 297, p. 75-96, 2012.
SALES, R. C.; GOIA, M. R. Escolarização e consumo distintivo: um estudo sobre a escolha dos pais por uma escola internacional no Rio de Janeiro. In: VIII Encontro de Marketing da ANPAD, Anais …, Porto Alegre/RS, 2018.
SHAFFER, M. A.; KRAIMER, M. L.; CHEN, Y.-P.; BOLINO, M. C. (2012). Choices, Challenges, and Career Consequences of Global Work Experiences. Journal of Management, v. 38, n. 4, p. 1282–1327, 2012.
VAN ZANTEN, A. Choisir son école. Stratégies familiales et médiations locales. Paris: PUF, 2009.